A principal causa de afirmares e acreditares que “não é suficiente”

Posted on Posted in Uncategorized

young-woman-1745173_1920Quantas vezes deste por ti a dizer “não é suficiente” ou “não sou suficientemente inteligente/bonita/ alta/magra…  “O que fiz é básico e qualquer um poderia tê-lo feito.” Esta última frase ouço-a vezes sem conta, nas minhas sessões.

Porque será que dizes repetidamente “não é suficiente” “não sou suficiente”? Porque será que apesar do tanto que já alcançaste, não consegues sentir a alegria dessas conquistas?

A Carlota uma mulher inteligente, respeitada no seu trabalho e muito bem-sucedida no que fazia, chegou às minhas sessões, porque sentia uma certa frustração em relação à Vida. Apesar do seu aspeto cuidado, apresentação impecável, os mais variados cuidados com a alimentação e exercício físico diário. Ela não se sentia bem, achava que todos os cuidados que tinha com ela não eram suficientes. Quando lhe pedi para se olhar ao espelho e dizer-me o que via, ela não foi capaz de o fazer. Para ela o espelho era uma ferramenta que a ajudava a manter a sua imagem e nada mais.

Havia um cuidado extremo com a imagem, tanto a nível físico como em termos de conhecimento. A carreira era algo muito importante e por isso colocava muito do seu foco na sua evolução profissional. E apesar de todo o sucesso, ela nunca se permitiu celebrar, porque segundo ela: “era básico” e além disso não era suficiente.

Suficiente comparado com o quê? O que é suficiente?
A estas questões houve uma grande hesitação. Pela primeira vez a Carlota dava-se conta que a frustração que sentia não estava no que a Vida lhe estava a dar, mas sim naquilo que ela vivia no seu mundo interior, numa tentativa de eliminar a dor da frustração e do fracasso.


“Não é suficiente”

Esta afirmação acompanha muitos de nós, e quando levada ao exagero torna-se a castradora das conquistas. Como nunca é suficiente, não te permites celebrar, e se o fazes é de forma leve, sem uma intenção verdadeira de celebração.
Não é suficiente aniquila o bem-estar, o desfrutar dos prazeres da vida e a confiança em ti mesma.
Não é suficiente, pode levar-te a lutar por algo. Algo esse, que muitas vezes, não sabes bem o que é.
Não é suficiente pode levar a estados de ansiedade, obsessão e luta desmedida contigo mesma.

A causa de “não ser suficiente”
Após alguns momentos de conversa com a Carlota, ela acabou por afirmar que não era suficiente comparado com A em relação ao trabalho, com C em relação à imagem e com Y em relação à segurança com que se apresentava.
Quando existe uma afirmação de “não é suficiente”, ela vem de uma comparação recorrente ao mundo exterior e ao outro. E este outro não precisa de ser alguém próximo. Pode mesmo ser o desconhecido que passou por ti na rua. A comparação com o exterior é a principal causa de nunca ser suficiente.
E mesmo que alcances grandes feitos, quando os alcanças baseado na comparação, só o fazes para provar algo a alguém. Mas e depois? Conseguiste provar que conseguias e o que sentes? Na maioria das vezes frustração, porque estás na corrida de algo que não vem da tua paixão.
Quando fazes algo baseado nos teus desejos profundos, na tua paixão, – recuperas o teu potencial, acreditas em ti e sentes-te segura na presença de outros. Quer tenhas feito exercício nesse dia ou não, quer estejas maquilhada ou não, quer estejas de roupa de treino ou roupa de cerimónia. Porque nesse momento não te estás a comparar a ninguém, estás a ser autêntica.

 Imagina que repetias tantas vezes para ti mesma “eu amo-me, aceito-me e respeito-me”, como repetes “não é suficiente”. Quando vives com esta última afirmação, vives fora de ti, em comparação constante. Os teus sonhos e objetivos, provavelmente nem são teus, lutas desmedidamente por algo que não te dá verdadeira alegria. Por outro lado quando afirmas “amo-me, aceito-me e respeito-me”, olhas para ti, olhos nos olhos, e buscas aquilo que te faz bem, aquilo que te faz feliz, que te dá amor. Este é o segredo para viver a versão mais autêntica de ti mesma, em alegria, equilíbrio e liberdade.

Ana Rita Costa
Transformacional coach
Facilitadora e coach do Método Louise Hay (Heal Your Life®)

2 thoughts on “A principal causa de afirmares e acreditares que “não é suficiente”

  1. Eu questiono-me frequentemente se serei suficientemente boa, capaz e corajosa para tomar certas iniciativas e aceitas certos desafios. Tenho muitos sonhos que gostava de concretizar na minha vida, mas tenho imenso medo de falhar, talvez por considerar que não sou suficientemente capaz e inteligente para os conseguir realizar!

    1. A voz do medo é uma voz que aprisiona e não deixa avançar. Num processo de transformação, questionar é uma parte importante, pois é feito com o intuito de te reconstrutores para te fazer chegar mais perto dos teus sonhos. Quando assim não acontece, e te questionas deixando-te prender pela ilusão do medo, fazes o movimento contrário ao do crescimento. No entanto, estás sempre a tempo de transformar a Tua Vida e chegar mais perto dos teus sonhos.

Responder a Inês Nogueira Rebelo Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *